segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Heartbreaker

Você já parou para pensar se um dia você quebrou o coração de uma pessoa que poderia ter tornar a pessoa mais feliz do mundo? Já reparou como você fica olhando para suas dores e mágoas, e como alguém te fez sofrer, mas você quase nunca vê a dor que causou?
Pode ser o eterno clichê ‘tudo o que vai, volta’, mas depois de um tempo na minha vida eu aprendi que quando você planta vento uma hora ou outra colhe tempestade.  Aprendi também que se fazer de coitada não leva a lugar nenhum, e que por maior que seja sua dor e mesmo que pareça que  ela nunca acabará , um dia ela acaba.
Eu sei que depois de tanta dor eu ganharia alguma coisa, eu sempre achei que depois de tanta dor tudo daria certo, não foi assim. Ganhei maturidade e sabedoria, aprendi a desconfiar  de pessoas que me cercavam e sempre queriam minha queda.
Eu vi meu chão desabar diversas vezes, eu chorei mais do que meus olhos tristes pareciam agüentar, algumas pessoas diziam que eu tinha virado um zumbi de tão sem vida que eu andava. A única coisa que eu sabia fazer durante meses era chorar. Eu vi uma melhor amiga desistindo de mim, as pessoas não conseguiam ficar do meu lado, pois eu sempre estava respondendo no automático, olhando pro vazio  ou com os olhos prontos para outra crise.
Os poucos que ainda tentavam me ajudar se deparavam com o meu ‘ não quero falar  sobre isso’ , e foi virando uma bola de neve.  As pessoas mais verdadeiras não desistiram, vinham e me abraçavam e dizia que tudo ia dar certo.  Foram eles que me fizeram ter forças para querer continuar, ter forças para levantar toda manhã e sentir que sobreviveria a tudo aquilo.  A eles eu tenho que dizer meu muito obrigado diariamente por terem acreditado em mim quando eu mesma tinha desistido.
Eu sei como é se sentir humilhada , abandonada , pisoteada, mas se tenho algo para dizer é que isso me ajudou muito, me ensinou coisas que eu não sabia , eu aprendi como lidar com a perda, de levantar minha cabeça enquanto muitos tratavam de tornar minha vida um inferno.
Mas foi em meio toda essa dor que eu me vi destruindo um coração também, de alguém que não merecia, alguém que estava disposto a aceitar meus defeitos, mas lá estava eu afastando ele com meu ‘efeito zumbi’. Eu estava tão dividida, tão incompleta, que eu não podia fazer isso com ele.  Era como se invés de um coração fosse um vácuo.  Todos me diziam ‘ como você não deu uma chance pra ele, tudo bem que ele não é lindo, mas tem olhos bonitos e gosta da mesma banda que você’, daí eu lembrava do garoto de olhos tempestivos que sempre me fez rir , o qual eu dediquei  centenas de poemas , textos  e até desenhos. Não, eu não podia usar alguém pra tentar esquecer outra.
Alias, o garoto dos olhos tempestivos foi uma cura para mim sem ele saber disso. Ah, como ele me fez bem e como me fez me sentir péssima também. Mas eu sei que o jeito de como nos olhávamos era especial, minhas amigas percebiam, principalmente aquelas que não sabiam de nada. Então, o destino está levando ele embora, eu achei que eu estaria no abismo de novo, mas sabe?  Tem aquele espaço vazio , aquele aperto no peito toda vez que eu faço algo que me lembra ele, mas eu prometi a mim mesma não virar zumbi de novo. Esse vai ser  o começo de algo que vai me levar para alguma realização , é um princípio de amor próprio.

Nenhum comentário: